Objetivo: discutir  as repercussões da inteligência artificial no sistema jurídico penal.

Data: 26 de agosto de 2019

Horário: 14h às 17h

Local: Auditório da Escola Superior do MPPE, Rua do Sol, 143, 5º andar, Ed. IPSEP, Santo Antônio, Recife-PE. CEP 50010-936.

Público-Alvo: procuradores, promotores e servidores do MPPE, e convidados.

Vagas: 50

Carga horária: 3h

Inscrições: até o dia 19 de agosto de 2019, por meio do link: http://bit.ly/2YGho3c

A ciência do direito é uma área do saber conservadora, sem embargo, como um instrumento para compreender a dinâmica social, o direito deve estar em constante evolução, servindo como um mecanismo de compreensão e resolução de tensões sociais com a finalidade de responder as novas realidades presentes no cotidiano do direito moderno.

Uma das necessidades do sistema jurídico atual é encontrar uma resposta adequada para atender a regulação da inteligência artificial e quais são as repercussões dessa nova problemática para os funcionários e usuários do sistema de justiça.

Desde esta perspectiva, o futuro do direito penal é um tema que deve ser abordado em alguns aspectos relacionados a possível compatibilidade entre a inteligência artificial e premissas da: teoria do delito e da pena, como também do direito processual e execuções penais.

MARCELLA DA FONTE CARVALHO

·         Advogada;

·         Perita em matéria penal da Corte Interamericana de Direitos Humanos;

·         Doutora em ciências jurídicas e sociais pela Universidad del Museo Social Argentino (UMSA), Buenos Aires, Argentina.

·         Professora titular e pesquisadora da Universidade de Las Americas (Udla) em Quito, Equador.

·         Professora da Pós-graduação e Mestrado da Universidade Andina Simón Bolívar (UASB) em Quito, Equador.

 

Realização: Procuradoria Geral de Justiça

Coordenação: Escola Superior do MPPE