05/06/2020 - O Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), por meio do Laboratório de Inovações Tecnológica e Negócios (MPLabs), foi escolhido pelo público como o primeiro colocado no Expojud on-line, Congresso de Inovação, Tecnologia e Direito para o Ecossistema da Justiça. O MPPE marcou o evento com a exposição de um estande virtual com as principais iniciativas da Casa na área tecnológica.

“Esse reconhecimento mostra que estamos no caminho certo. O MPLabs instiga o que há de melhor em nosso MPPE, que é a vontade de cada membro e cada servidor de trabalhar pela sociedade de maneira mais coordenada e eficiente. Vivemos em um mundo digital e conectado, não poderíamos jamais continuar analógicos e isolados. A iniciativa é fruto do empenho de mais de 50 membros e servidores que, direta ou indiretamente, estão envolvidos com o projeto e também das parcerias institucionais firmadas com o Porto Digital e o ecossistema de inovação do nosso Estado", disse o procurador-geral de Justiça do MPPE, Francisco Dirceu Barros.

O segundo lugar ficou por conta da Justiça Federal do Rio Grande do Sul; em terceiro o Conselho Nacional de Justiça; em quarto a Justiça Federal do Rio Grande do Norte; e em quinto a Justiça Federal de São Paulo. Durante os três dias de evento (2, 3 e 4 de junho), foram realizados debates e mesas redondas falando de temas importantes e atuais, tais como: “Futuros Possíveis! Quais os cenários pós pandemia e o impacto na Justiça?”; “A importância da Ciência de Dados na tomada de decisão”; “Como a Inteligência Artificial está transformando o dia a dia da Justiça?”; “Inteligência Artificial e outras tecnologias exponenciais”; e “Novo marco legal da ciência, tecnologia e inovação”; só para citar os principais.

O MPLabs tem estimulado a inovação e uma verdadeira mudança de paradigmas no MPPE, sendo responsável pela transformação digital do modelo de atuação da instituição para atender às necessidades de uma nova sociedade conectada, viabilizando a transformação do MP em uma organização exponencial. "O processo de inovação aberta estabelecido no MPPE é o grande legado que o MPLabs deixa para o serviço público brasileiro. Estar na primeira posição é o reconhecimento de um trabalho coletivo, da transformação de uma ideia em uma realidade que coloca o serviço público mais próximo do cidadão e em função de um papel social mais preponderante e cada dia mais relevante", disse o promotor de Justiça e secretário de Tecnologia e Inovação do MPPE, Antônio Rolemberg.

O MPLabs implementa um modelo de desenvolvimento colaborativo com ecossistemas de inovação, utilizando como chave um processo de cocriação, onde o MP fornece ao mercado expertise nos problemas enfrentados no seu dia a dia, enquanto que o mercado oferta capacidade de gerar e apresentar soluções. Esse modelo diminui o risco da inovação, torna o MP capaz de estabelecer parcerias efetivas com a rede de startups, institutos de inovação, academias, fomentando a criação de novos produtos para atender ao mercado de Justiça como um todo, e tudo isso de forma autossustentável a médio prazo.

Exposição - Visitando o estande virtual, o participante do evento pôde conhecer o Assessora, um assistente virtual que apoia o dia a dia dos membros da organização; o Audivia, que realiza a ponte entre as demandas do cidadão e os membros do MPPE; o Voxia, aplicação de degravação de audiências; o Argus, que capta indícios relevantes de irregularidades de crimes contra o patrimônio público; o Consensus, que automatiza o Acordo de Não Persecução Penal; MP na Escola, uma plataforma integrada que monitora a aplicação de recursos na área de educação com dashboards configuráveis; Helena, plataforma que integra toda a rede de proteção à criança e adolescente; e o Xerlock, ferramenta capaz de cruzar dados e criar padrões de investigação.

Os participantes puderam conhecer ainda as ferramentas que foram desenvolvidas com o Desafio Covid-19, projeto de iniciativa aberta do MPPE junto com o Porto Digital e a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Os usuários conheceram, ainda: o ProXper, que conectou por meio de estratégia de barramento as soluções apresentadas; o Anjo Amigo, rede social colaborativa com foco na proteção dos idosos; o Covid-19 Assist, que promove o monitoramento diário da saúde dos profissionais envolvidos na linha de frente do coronavírus; o Dycovid, que mapeia por contact tracing o fluxo de contaminação da Covid-19; o Medvelox, que atende a evolução clínica de pacientes e pode funcionar como um aplicativo de troca de mensagens de médicos; o Xô Corona, que incentiva o isolamento social voluntário; o Inloco, um painel de monitora por geolocalização o isolamento social; e o USP, que seja possível cumprir em uma única etapa o diagnóstico da Covid-19.

Imagem acessível: retângulo com fotografia de mão humana apertando mão virtual que sai da tela de notebook tem sobrepostos os dizeres MPPE é primeiro colocado no Expojud. Acima, tarja vermelha com tecnologia. Acima, tarja azul com logomarca do MPPE para o tema Coronavírus